Terça, 21 de Maio de 2024
24°C 28°C
Maceió, AL
Publicidade

Comissão aprova projeto que cria programa voltado para pessoas com epilepsia

Proposta continua em análise na Câmara dos Deputados

13/05/2024 às 14h03
Por: Colaboração para o Jornal Online Alagoas Fonte: Agência Câmara
Compartilhe:
Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados
Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados

A Comissão de Saúde da Câmara dos Deputados aprovou projeto que cria o programa nacional de atenção integral às pessoas com epilepsia no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

O texto aprovado foi um substitutivo apresentado pelo relator, deputado Dr. Zacharias Calil (União-GO), ao Projeto de Lei 5538/19 , do deputado Ruy Carneiro (PODE-PB).

O objetivo geral do programa, é proporcionar atendimento integral a pessoas com epilepsia, a fim de reduzir suas manifestações e sequelas, e combater a estigmatização social, a partir da realização de campanhas educativas.

O Ministério da Saúde deverá coordenar o programa, desenvolver um sistema de informação para acompanhar as pessoas com epilepsia e organizar um cadastro específico, garantido o sigilo das informações.

A epilepsia é uma alteração temporária do funcionamento do cérebro caracterizada por crises de perda da consciência, acompanhadas de convulsões que surgem em intervalos irregulares.

“Um programa de atenção específico ajudará a ajustar o tratamento conforme necessário, garantindo a adesão aos medicamentos”, afirmou Calil, que também é médico. “Outro aspecto positivo é a preocupação de preparar pacientes, famílias e a população para melhor compreender e lidar com a epilepsia.”

Obrigações do SUS
Segundo o projeto, entre outros pontos, o SUS deverá:

  • garantir atendimento multiprofissional e especializado,
  • fornecer a medicação necessária,
  • realizar procedimentos cirúrgicos,
  • disponibilizar exames,
  • garantir leitos para internação, e
  • capacitar trabalhadores de saúde, a fim orientar o atendimento pré-hospitalar.

Treinamento e jornada de trabalho
Profissionais da educação e trabalhadores em transportes públicos também serão treinados, conforme o programa, para reconhecer os sinais de crises epilépticas e prestar atendimento pré-hospitalar.

O texto garante ainda ao paciente horário especial de trabalho a fim de permitir o tratamento.

Mudanças no texto original
O texto original previa ainda prioridade nos estabelecimentos de saúde (públicos e particulares) para pacientes com epilepsia, e proibia a demissão de funcionários em função de crises ou de ausência justificada. O relator eliminou esses pontos.

Tramitação
O projeto ainda será analisado pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania, antes de ser votado pelo Plenário.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.