Terça, 26 de Setembro de 2023
22°C 28°C
Maceió, AL
Publicidade

Após adiar depoimento de Braga Netto, CPMI ouve assessor de Bolsonaro nesta terça

Após decidir adiar o depoimento do general Braga Netto, ex-ministro da Casa Civil e da Defesa do governo de Jair Bolsonaro, a CPMI do 8 de Janeiro ...

18/09/2023 às 18h55
Por: Colaboração para o Jornal Online Alagoas Fonte: Agência Senado
Compartilhe:
A relatora da CPMI, senadora Eliziane Gama, e o presidente do colegiado, deputado Arthur Maia - Foto: Geraldo Magela/Agência Senado
A relatora da CPMI, senadora Eliziane Gama, e o presidente do colegiado, deputado Arthur Maia - Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

Após decidir adiar o depoimento do general Braga Netto, ex-ministro da Casa Civil e da Defesa do governo de Jair Bolsonaro, a CPMI do 8 de Janeiro vai ouvir nesta terça-feira (19) Osmar Crivelatti, ex-assessor da Presidência da República e atual integrante da equipe do ex-presidente. A previsão é que a reunião tenha início às 9h. O depoimento de Braga Netto deve ser remarcado para 5 de outubro.

Osmar Crivelatti foi coordenador administrativo da Ajudância de Ordens da Presidência da República e era subordinado ao tenente-coronel Mauro Cid. Para a relatora da CPMI, senadora Eliziane Gama (PSD-MA), uma das autoras do requerimento a oitiva ( REQ 1.432/2023 ), é importante ouvir o ex-auxiliar para buscar esclarecer os fatos preparatórios dos atos do dia 8 de janeiro.

“A oitiva do senhor Osmar Crivellatti, segundo-tenente do Exército que trabalhou junto com Mauro Cid na Ajudância de Ordens da Presidência da República, nos parece fundamental para a investigação dos fatos desta comissão de inquérito”, afirma Eliziane. Além dela, outros parlamentares apresentaram requerimento semelhante, como o senador Rogério Carvalho (PT-SE).

Entre os temas que devem ser abordados pelos membros da CPMI, está o fato de o nome do tenente estar ligado a Mauro Cid no caso das investigações da Polícia Federal sobre a participação no processo de retirada de presentes recebidos de autoridades oficiais estrangeiras pelo ex-presidente e que estariam no gabinete-adjunto de Documentação Histórica do Palácio do Planalto.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.